terça-feira, 3 de abril de 2018

"Me sinto preparado para assumir qualquer função no nosso Município", diz Allysson em entrevista

Compartilhe
O Presidente da Câmara Municipal de São Paulo do Potengi, Allysson Lindálrio, está em seu segundo mandato como Vereador e já almeja alavancar sua carreira política rumo a uma candidatura majoritária em 2020.

Durante mais uma manhã comum de trabalho, o Vereador recebeu Herisson Bezerra, Adeylton Lira e Glaucione Farias da Rede Maximize de Comunicação e blogs para uma conversa sobre sua administração e a política potengiense. Falou sobre suas realizações e seus planos para ocupar o posto em que hoje está seu tio, o Prefeito Naldinho, citando como pretende disponibilizar seu nome para avaliação da população do Município.

BLOG – O senhor está no segundo e último ano de mandato na Presidência da Câmara de São Paulo do Potengi. Qual a avaliação que faz sobre seu trabalho e quais as perspectivas até o final de 2018?

Allysson – A avaliação que eu faço hoje é de forma positiva, mesmo com as dificuldades financeiras no Município, no estado, conseguimos superar os obstáculos.


Blog – Há possibilidade de se candidatar à reeleição na Câmara?

Allysson – A questão de eleição ou reeleição aqui na Câmara vai depender dos pares. Temos um bom relacionamento com os vereadores, servidores e com o público. Se for do sentimento da maioria ou até mesmo da unanimidade, me coloco à disposição. Mas, nosso Regimento não prevê a reeleição. Se for do entendimento de todos modificar o Regimento, estamos à disposição. Do mesmo jeito, me disponibilizo para votar em qualquer outro colega que se disponha a ser candidato à Presidência da Câmara Municipal, sem problema nenhum.

Blog – Caso não viabilize uma reeleição, qual será então o principal legado deixado pelo Presidente Allysson na Câmara Municipal?

Allysson – Será a forma republicana e democrática na tomada de decisões aqui na Casa do Povo. Além disso, a melhoria dos serviços através da estrutura física e a utilização das redes sociais para aproximar a Câmara do Povo e os serviços à população. Hoje nossa Câmara é avaliada por colegas presidentes como uma das melhores e mais bem equipadas do interior do RN. Em resumo, a difusão da boa política.

Blog – 2018 é ano de eleição estadual e nacional. Como o senhor avalia o atual quadro político do RN?

Allysson – Eu vejo hoje o quadro político como indefinido. Vejo pessoas que já participaram de todos os grupos políticos e hoje se colocam como pré-candidatos. Não sabemos ainda quem serão os candidatos efetivamente e ainda não foram apresentadas as propostas concretas para a resolução dos problemas do estado. Se analisarmos bem, Fátima já esteve com Robinson, Carlos Eduardo é do grupo dos Alves, enfim, não há novidades por enquanto.

Blog – Já simpatiza com alguma pré-candidatura? O senhor é do partido do governador Robinson.

Allysson – Por enquanto tenho apenas observado. Faço parte de um grupo político aqui em São Paulo do Potengi, mas por enquanto, só especulação. Ainda vamos sentar e dialogar.


Blog – É notícia nas rodas de conversa e até em alguns blogs que o senhor pretende ser candidato a prefeito em 2020 e que já busca articular alianças para isso. É verdade?

Allysson – Eu não fiz nenhum trabalho de articulação para isso. Apenas me coloca à disposição e me sinto preparado para assumir qualquer função pública no nosso Município, diante da experiência adquirida e do amor que tenho por São Paulo do Potengi. Se em 2020 for da vontade do povo e eu estiver nos planos de Deus, eu topo o desafio.



Blog – Entre os nomes apontados como pré-candidatos à Prefeitura Municipal, aparece o líder do PDT no Município e ex-vice-prefeito Pacelli. Qual a sua opinião sobre essa possível candidatura?

Allysson – Vejo ele como candidato natural por ter disputado a última eleição e ficado em segundo lugar. Mas, acredito que não é o momento de discutir nomes, mas sim uma proposta, um projeto para São Paulo do Potengi.

Blog – Qual o papel do prefeito Naldinho no tabuleiro político de 2020?

Allysson – Considero Naldinho hoje como o maior líder político de São Paulo do Potengi. Através da sua experiência, do seu grupo político, ele é um personagem decisivo no pleito de 2020.

Blog - Já conversou com ele sobre sua possível pré-candidatura?

Allysson – Já. O entendimento dele é o mesmo: temos que ouvir a população e discutir um projeto voltado para o povo de nosso Município. Tenho o mesmo entendimento, não faço política por vaidade ou por sobrevivência. Acho que temos que entender os momentos e ver de que forma podemos contribuir de forma positiva para a sociedade.


Blog – É verdade que está pensando em deixar o PSD e voltar ao PSB?

Allysson – Não. Eu fui membro por 16 anos filiado ao PSB. Era um partido pelo qual sempre tive atenção e uma ligação muito forte com a ex-governador Wilma de Faria. Após sua saída, também deixei o partido. Já recebi convite para voltar e para assumir o PSDB em São Paulo do Potengi, através da deputada estadual Márcia Maia. Recentemente o Avante também me procurou através do presidente da Câmara Municipal de Natal, para articular as ações na região. Mas, continuo no PSD e no momento não vejo necessidade de mudança, porém, não descarto a possibilidade de mudança para uma outra sigla através de um projeto político que seja viável para São Paulo do Potengi.

Nenhum comentário:

Desenvolvido por Glaucione Farias