terça-feira, 20 de agosto de 2019

IFRN é o maior medalhista da Olimpíada Nacional de História; SPP teve duas equipes premiadas

Compartilhe
O IFRN foi a instituição ganhadora do maior número de medalhas da 11ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), cuja final aconteceu neste fim de semana (17 e 18 de agosto), na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A Instituição conquistou 19 medalhas, sendo 4 ouros, 6 pratas e 9 bronzes, de um total de 20 premiações angariadas pelo Rio Grande do Norte, que também foi o estado com mais premiações no certame.

Ao todo, o evento distribuiu 75 medalhas, sendo 15 de ouro, 25 de prata e 35 e bronze. Além delas, foram concedidas ainda medalhas de honra ao mérito. A região Nordeste também teve um papel de destaque, com 58 medalhas, o que corresponde a 77% do total. A final contou com a participação de 314 equipes, reunindo 1,2 mil convocados de todos os estados brasileiros.

A cerimônia de premiação contou com a participação de estudantes, professores, historiadores de relevância nacional e autoridades, como representantes da Anpuh (Associação Nacional de História), Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), ProfHistória (Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História) e a presença do reitor da Unicamp, Marcelo Knobel.

Campus SPP teve duas equipes premiadas.

O Campus São Paulo do Potengi do IFRN, teve duas equipes representantes na final do evento. Cascudas e FemiNísias, orientadas pelos professores Júlio Alencar e Kleber Gavião. A equipe Cascudas garantiu uma medalha de bronze. A equipe FemiNísias, por sua vez, recebeu Menção Honrosa pela participação no evento.

Para o professor Julio Alencar, a participação na Olímpiada contribui para a construção do conhecimento dos estudantes. "A ONHB possibilita uma abordagem diferente para os conteúdos históricos, permitindo aos estudantes o contato com textos acadêmicos, fontes primárias e outros materiais, além estimular a autonomia e o trabalho em equipe. Isso desperta um interesse maior pela História e traz uma bagagem de conhecimento que é levada para a vida dos estudantes", destacou.

"Participar da olimpíada foi uma oportunidade maravilhosa, realmente emocionante. Domingo, durante a premiação, os colaboradores, coordenadores, dentre outras pessoas que fazem a ONHB funcionar todo ano, falaram um pouco a respeito de como ela é importante, que sua proposta não se baseia em respostas prontas, tampouco do máximo conhecimento em história, pelo contrário, a olimpíada é um processo, aprendemos ao decorrer dela. Creio que isso seja o essencial, a absorção de conhecimento, da mudança de perspectivas, o debate, o questionamento", destacou a estudante Emily Jordana Macedo.

Equipes arrecadaram recursos para participar do evento

Em função do contigenciamento das verbas por parte do Ministério da Educação, o financiamento para participação das equipes com recursos da Instituição ficou inviável. "Apesar das dificuldades, digo que valeu a pena cada minuto que nos dedicamos a esse desafio. Fiquei muito feliz com a medalha de bronze que as meninas conseguiram trazer para o Campus. Essa conquista também é de todos aqueles que contribuíram para que pudéssemos ir até Campinas", destacou Ana Ligia Araújo.

Para conseguir participar da final, as estudantes e os professores orientadores realizaram uma série de ações com o objetivo de arrecadar recursos para que pudessem representar o município de São Paulo do Potengi no evento. "Agradecemos a todos pelas doações, por divulgar nossas ações. Essa medalha que estamos levando para SPP é de todos nós", destacou Livian Medeiros.

Estudantes destacam a experiência em participar do evento

Para as estudantes do Campus São Paulo do Potengi que participaram da ONHB em 2019, a experiência que elas adquiriram valeu muito mais que as medalhas. "Saírei daqui com o propósito de focar muito mais para o próximo ano e convidarei outros estudantes para fazerem parte do grande projeto de conhecimento que é a ONHB", destacou Anna Biatrys Moura. "É um sonho, de verdade, participar da prova final da Olimpíada Nacional em História do Brasil. Gostaria que esse sonho não fosse algo tão restrito aos IF's e escolas particulares, mas que englobasse as escolas municipais e estaduais também", defendeu a estudante Barbara Araújo.

Olimpíada Nacional de História do Brasil (ONHB)

Realizada pelo Departamento de História da Unicamp, a Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB) é composta por seis fases de provas realizadas de forma online, com duração de uma semana cada. Tem apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e do Programa de Pós-Graduação em História da Unicamp. em 2019, teve 73 mil inscritos desde a fase inicial. A final contou com a realização de uma prova dissertativa no sábado. Os finalistas interessados em concorrer a duas vagas no curso de graduação em História da Unicamp realizaram, também, na tarde do sábado, uma prova que faz parte do edital de “Vagas Olímpicas”, implantada de forma inédita em 2018 com o objetivo ampliar o acesso à universidade. Estudantes que fizeram a prova e conquistaram medalhas de ouro ou prata estão agora concorrendo às vagas na universidade.


Nenhum comentário:

Desenvolvido por Glaucione Farias